Riot Act – Pearl Jam (2002)

Riot Act é um álbum atípico na discografia do Pearl Jam – não chega a ser um álbum canônico, e talvez soe como o trabalho menos grunge do grupo. RA é melancólico, estável e muito sofisticado instrumentalmente. Seja como for, uma coisa é certa: a voz de Eddie nunca soou melhor.

Não há faixas fracas neste disco que não arrancou grandes elogios da crítica. Entre os grandes destaques eu apontaria Can’t Keep (uma boa faixa de abertura); Save You (talvez a melhor do álbum, e uma das melhores canções sobre amizade que conheço); Love Boat Captain (que presta homenagem as vítimas de um dos incidentes mais trágicos na trajetória da banda* e dialoga diretamente com All You Need is Love de Lennon); I Am Mine (carro-chefe do disco); Green Disease (a faixa mais típica da banda); e Bushleaguer (ótima canção de protesto).

Riot Act, no entanto, não é um disco de revolta. É um trabalho fundamentalmente existencialista, cheio de questões que nos consomem todos os dias, e que são colocadas aqui com muita delicadeza por uma banda que tem muito mais camadas do que aparenta. RA não vai mudar o mundo, e certamente não transformou a trajetória do Pearl Jam. Mas é uma peça de beleza estranha que causa grande curiosidade e fascínio – pode não ter a lucidez e o brilho das outras, mas não conseguimos nos desfazer dela porque intuímos seu grande valor.

 

Nota: 7,5

*ver história aqui: http://en.wikipedia.org/wiki/Roskilde_Festival#2000_accident

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s