Conheça: Gato Preto

Com o mesmo bom humor que imprime em suas músicas, a banda Gato Preto nos concedeu esta ótima entrevista onde versa sobre sua história, processo de composição, e sua relação com a música.

Gato Preto nos presenteia com um punk que quase não é mais produzido atualmente, e nos explica onde foram buscar inspiração para o resgate do punk simples, veloz e igualmente engajado e despretensioso da década de 1980.

A formação atual é a seguinte:
Mike – Guitarra
Pedro – Baixo
Tonho – Vocal
Buda – Bateria

E o trabalho da banda vocês podem conferir aqui: http://www.myspace.com/gatopretodf

Antes de começar gostaríamos de agradecer mais uma vez pela atenção e simpatia dedicada pela banda ao nosso blog.

Dó Ré Mi Fá: Gostaríamos de saber um pouco mais sobre a trajetória da banda Gato Preto. Como os integrantes se conheceram e como chegaram a atual formação da banda?

Gato Preto: A banda foi criada em fevereiro de 2010! Na verdade, nessa época nem eu (Jeremias, baixista) e o Marcelo (Buda, baterista) imaginávamos que mandar um som no fundo do quintal ia resultar em alguma coisa… nesse lugar temos um quartinho onde rola de tocarmos numa boa e tomarmos uma cerveja! Naquele momento era só isso que a gente precisava. Um dia, com a desculpa da cerveja e a ausência de ter o que fazer numa bela tarde de domingo, nosso querido amigo Tonho (vocalista) apareceu… Tínhamos um microfone sobrando lá e nenhum de nós dois era capaz de tocar e cantar ao mesmo tempo! Nesse dia o Tonho assumiu os vocais característicos da banda!
Quando começamos a perceber que o som que mandávamos no final de semana estava começando a progredir, comentamos isso com uma amiga nossa da faculdade, Ana Carol (Torraquinha) e no próximo ensaio ela já assumiria a guitarra! Essa formação se manteve por quase um ano até que o Buda abandonou Brasília para abrir um bar em Uberlândia e Torraquinha se afastou por motivos pessoais!
Durante um mês a banda lutou com formações diversas e que beiravam o absurdo (eu e o Tonho ficávamos chamando amigos que nunca tinham tocado em um instrumento pra ver se por um milagre eles conseguiam tapar os buracos da banda), mas infelizmente nada parecia dar certo… Uma formação ameaçava se tornar definitiva, com Conrado (bateria) e Herberth (guitarra), ambos achados nos confins da internet, mas devido à falta de entrosamento e alguns conflitos pessoais e ideológicos essa formação não se manteve.
Coincidentemente, quando essa formação se desfez, poucos dias depois o Buda reapareceu em Brasília, desistindo da sua empreitada mineira e voltando às raízes candangas! Isso nos deu uma injeção de animo para voltar aos ensaios regulares e procurar um novo guitarrista que completasse a banda sedenta por Punk Rock na época! Em um golpe de sorte encontramos a figura perfeita: bêbado, extrovertido e um grande amigo sem medo de expor ideias ou ouvir críticas! Michael Franklin começa a ensaiar com a gente e logo percebemos uma grande sintonia tanto musical quanto ideológica, o entrosamento é imediato e a formação continua assim desde então!

DRMF: É claro que todos os integrantes possuem uma bagagem musical diferente, mas que bandas vocês citariam como principais influências para a música que produzem? Reparei algumas influências literárias também, gostaria que contassem desses referenciais.

GP: O estilo Punk Rock que decidimos seguir veio primeiramente de mim e do Tonho, há dois anos estávamos fissurados no Punk Rock nacional old-school, sempre conversávamos na faculdade sobre as bandas undergrounds que a gente conseguia garimpar na internet e curiosidades da década de 80 sobre o movimento! O Buda curtia o estilo, mas sempre gostava de explorar outras vertentes da música… O que foi ótimo, por que graças a ele fizemos músicas com influências no baião, funk, blues e etc. O Michael, como todo bom ‘rockeiro doido’ tem ótimas influências que ele tenta trazer sempre que possível para a banda, como: Nirvana, Dead Fish, Ramones, Iron Maiden e a sua outra banda DF 147! O Tonho tem como principal influência a banda Cólera, na verdade é uma grande influência para todos nós.

DRMF: Como é o processo de composição? O que lhes inspira, como constroem as músicas? Todos os membros da banda participam do processo?

GP: A forma como construímos as músicas é da forma mais democrática possível! Abolimos a ideia de apenas um compositor ou escritor, responsável pelas letras e melodias… Temos total liberdade para compor e escrever algo em casa e discutirmos durante um ensaio ou até mesmo deixarmos uma ‘Jam’ ir rolando até percebermos que aquilo pode virar música!
Já tivemos composições feitas de todas as formas… Uma de nossas músicas, El Gato y el Torero, foi feita quando nós quatro estávamos completamente embriagados e até hoje não sabemos o seu verdadeiro significado hehehehehe. Porém, outras tem mensagens que acreditamos ser mais profundas, relacionadas à criticas sociais e culturais que enxergamos dentro da nossa realidade…

Errata da banda:

 A musica ‘El gato y el Torero’ é sobre a imigração dos aeroportos espanhóis que estavam deportando e maltratando os brasileiros!

DRMF: Vocês estão tocando regularmente em algum lugar? Onde os brasilienses podem ouvir a banda ao vivo? Há planos para o lançamento de novo material?

GP: Ultimamente estamos um pouco parados, por motivos financeiros alguns dos integrantes estão estudando para concursos ou outras provas importantes… Além de trabalho e etc. Apesar disso estamos sempre prontos pra tocar onde nos chamarem e onde o Punk Rock seja bem-vindo (e se não for a gente não está nem ai hehehe).
Um dos locais que mais tocamos foi com certeza no Red Rock Pub, ótimo lugar lá na Ceilândia, com um público bacana e sempre disposto a conhecer bandas novas! Além de participarmos de alguns festivais, como o caça bandas e o Festival Universitário de Música (FUM). Caso alguém queira entrar em contato com a gente, para tocarmos no aniversário de dois anos do seu filho ou na casa de satanás, é só mandar um e-mail para pedro.schimm@gmail.com ou capallan@gmail.com ou adicionar o perfil da banda (Gato Preto Punk Rock) no facebook! O nosso telefone para contato também é: 9118 2292 (Jeremias) / 81457399 (Michael)!
Provavelmente até agosto desse ano devemos estar com material gravado e sendo distribuído durante os shows! Até lá você pode se deliciar com o som mais podre dos últimos tempos procurando a banda no YouTube ou visitando  o www.myspace.com/gatopretodf.

Pra finalizar um video da banda no tradicional pub brasiliense UK Brasil (hoje em dia chamado UK Music Hall):

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s